fbpx

Em busca da luz…

... E da sombra também!

Não me mostres o teu lado feliz
A luz do teu rosto quando sorris
Faz-me crer que tudo em ti é risonho
Como se viesses do fundo de um sonho
(…)
Toda a alma tem uma face negra
Nem eu, nem tu, fugimos à regra
Tiremos à expressão todo o dramatismo
Por ser para ti eu uso um eufemismo
Chamemos-lhe apenas o lado lunar
Mostra-me o teu lado lunar
(Rui Veloso – Lado Lunar)

Tenho a certeza que conheces esta música, até se calhar já estás a cantarolar na tua cabeça!
Pois é, o Rui Veloso está exatamente a falar do nosso lado sombra. Aquela parte de nós que temos tendência para esconder, não só dos outros, mas muitas vezes de nós mesmas também.

Dentro de ti (dentro de TODA A GENTE) existe luz e existe sombra. E está tudo certo que assim seja.
Aliás, só pode ser assim. E é isso que nós trás, não só equilíbrio, mas também formas de crescimento.

“Oh Alda, mas a minha sombra às vezes é mesmo feiazinha…”
Pois claro que é! A tua, a minha e a de toda a gente. Mas a minha sombra faz parte de mim, é um bocado do meu Ser, por isso, se me quero amar por inteiro (e eu quero), amo também a minha sombra.
Mas isto não invalida que a trabalhe.

Aprendemos imenso quando nos predispomos a trabalhar a nossa sombra, quando enfrentamos os medos, irritações, fúrias, culpas e tudo o que queremos esconder que temos dentro de nós.
Provavelmente estás a pensar: “Mas isso dói muito”. Não te vou mentir, dói… Às vezes pouco, às vezes muito. Mas quando consegues aceitar quem és por inteiro tornas-te muito mais forte e resiliente, a tua autoestima aumenta e sentes-te mais inteira e completa. E isso não tem preço.

“Mas quando eu às vezes mostro um bocadinho da minha sombra à minha família, aos meus amigos ou aos meus colegas, sou olhada de lado. Os outros não querem saber…”
Percebo-te perfeitamente!
Em criança vivia com uma faca pendurada por cima da cabeça. Tinha de ser uma menina bem comportada, que não levantava ondas, que não fazia barulho, que não contrariava os mais velhos. Se me desviasse deste tipo de comportamento a faca soltava-se, o que na prática significava que a minha mãe ficava doente e a responsabilidade era minha. Estás a imaginar o duro que é para uma criança o sentimento de culpa de a mãe estar de cama por causa dela, do seu comportamento?
Claro que daqui passei a ser a adolescente revoltada, a jovem que se sentia incompreendida e a adulta que fazia (quase) tudo by the book, que era para continuar a não criar ondas e ninguém dar por mim.
Mas quando EU dei por mim, tinha quase 40 anos e, embora tivesse tudo na vida para ser feliz, sentia-me completamente vazia, sem saber quem era e o que queria. Já te sentiste assim?
Sem perceber muito bem como (hoje sei que, felizmente, me deixei guiar pela minha intuição) fui começando um caminho de autodescoberta, em que tive de olhar de frente para as minhas sombras (aquelas que desde criança fui levada a esconder) e enfrentar também a minha luz (que muitas vezes é bem mais doloroso).
Perguntas-me se cheguei ao fim do caminho. Claro que não!
Mas hoje conheço-me muito melhor do que há uns anos atrás, aceito-me como sou e, quanto mais me conheço, percebo que mais há para conhecer! Quando mais cresço e me torno melhor pessoa, mais posso crescer e ser ainda melhor pessoa, com a minha luz e a minha sombra. E este caminho é infinito, o que traz uma magia maravilhosa à Vida!

Podes achar que para ser melhor pessoa, o mais importante é trabalhares a tua luz. E sim, é verdade, tens de trabalhar a tua luz, mas não te podes esquecer de trabalhar a tua sombra também.
Queres saber porquê?

Quando se trabalha muito a luz, esta vai obviamente aumentar. Quanto a luz aumenta, a sombra também aumenta, é proporcional. Por isso é que quando por vezes estamos a fazer um trabalho para elevarmos a nossa luz, nos tornarmos mais positivas, parece que tudo corre mal e sentimos que em vez de andarmos para a frente estamos a andar para trás. Parece que fica tudo de pernas para o ar.
É normal, é mesmo assim, se a luz aumenta, a sombra que essa luz provoca também aumenta. Por isso é tão importante trabalhar não só a nossa luz, como também a nossa sombra.
No Método Heal Your Life® é exatamente isto que fazemos. Fazes um profundo trabalho sobre emoções, perdão, libertação do passado, ao mesmo tempo que trabalhas na mudança de velhas crenças que já não te servem e as substituis por crenças que te elevam. Só assim consegues trabalhar de forma mais consciente quem és e quem queres Ser.

Deixo-te estas questões para refletires e para te desafiar a ir mais longe:

  • Estás predisposta a conhecer a totalidade de quem és?
  • Consegues identificares as tuas sombras?
  • De onde elas vêm, porque apareceram, em que é que te têm ajudado ou prejudicado?
  • Estás disposta a libertares o passado e a perdoares (a ti e aos outros)?

Torna-te mais forte e mais verdadeira!
Sê quem vieste SER e cria uma vida com mais sentido!

PS – Se quiseres partilhar comigo algumas das questões tenho todo o gosto em ajudar-te. Podes escrever através do formulário no site ou diretamente para vidacomsentido@aldamo.pt.